RUPUBLICA RIO GRANDENSE

O GIGANTE ACORDOU! VEM PRA RUA TU TAMBÉM!

REPÚBLICA RIO GRANDENSE

AMIGOS GAÚCHOS E BRASILEIROS, O BRASIL ACORDOU, E EU AMANHECI MAIS BRASILEIRO DESTA VEZ. O GIGANTE ACORDOU E VAMOS LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS, CUSTE O QUE CUSTAR. LEMBREM-SE QUE ESTE MOVIMENTO QUE HOJE ALCANÇA TODA A NAÇÃO BRASILEIRA COMEÇOU AQUI EM NOSSA CAPITAL, A CAPITAL DOS GAÚCHOS E SE ESTENDE POR TODO O BRASIL. O GIGANTE ACORDOU E VIVA O BRASIL, VIVA OS PROTESTOS, VIVA A MUDANÇA!

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Maragatos e Chimangos

Os termos "maragato" e "pica-pau", usados para se referir às duas grandes correntes políticas gaúchas, e identificados, respectivamente, com o uso do lenço vermelho e do lenço branco, surgiu no Rio Grande do Sul em 1893, durante a Revolução Federalista.Os maragatos foram os que iniciaram a revolução, que tinha como justificativa a resistência ao excessivo controle exercido pelo governo central sobre os estados.

O objetivo da revolução seria, portanto, garantir um sistema federativo, em que os estados tivessem maior autonomia.O termo "maragato", aplicado aos federalistas, tem uma explicação complexa. No Uruguai eram chamados de maragatos os descendentes de imigrantes espanhóis oriundos da área situada na província de León, na Espanha, conhecida como Maragateria. Os maragatos espanhóis eram eminentemente nômades, e adotavam profissões que lhes permitissem estar em constante deslocamento.


Os defensores do governo central passaram a chamar os revolucionários de "maragatos" com o intuito de insinuar que, na verdade, as tropas dos rebeldes eram constituídas por mercenários uruguaios. A realidade oferecia alguma base para essa assertiva — Gumercindo Saraiva, um dos líderes da revolução, havia entrado no Rio Grande do Sul vindo do Uruguai pela fronteira de Aceguá, no Departamento de Cerro Largo, e liderava uma tropa de 400 homens entre os quais estavam uruguaios.No entanto, dar esse apelido aos revolucionários foi um tiro que saiu pela culatra.

Os próprios rebeldes passaram a se denominar "maragatos", e chegaram a criar um jornal que levava esse nome, em 1896.Já o termo pica-pau, aplicado aos republicanos que apoiavam o governo central, teria surgido em função das listras brancas do topete do pássaro, pois os governistas usavam chapéus com divisas brancas, que lembravam o topete do pica-pau, enquanto que as dos maragatos eram vermelhas.(Por Lígia Gomes Carneiro)

4 comentários:

Anônimo disse...

só o rio grande do sul pra ter uma historia assim.......... linda de orgulho à qualquer GAUCHO. Eu sou do sul, Vilvania

Anônimo disse...

Parabéns ao povo riograndense!Orgulho de todos os brasileiros por sua garra,coragem e visão política!Gaúcha que sou, AMO o meu Rio Grande!

CINE CLUB NAVEGANTES - TEM BRASIL disse...

A História do Rio Grande do Sul é belíssima, porém, ideais separatistas me lembram xenofobia e racismo, principalmente quando neonazistas se apoderam de tal causa.

PROF. ADRIANOV ZHUKOV/ TCHÊ disse...

MARAGATO É DEFENDER SEU PAGO, SUA CULTURA E SUA IDENTIDADE TCHÊ...NÃO ACEITAR OPRESSÃO DO GOVERNO CENTRAL...VIVA O RIO GRANDE DO SUL TCHÊ...INDEPENDENTE E CULTURALMENTE SOBERBO TCHÊ...